Jornais

Notícias

Aqui poderá encontrar notícias relacionadas com a atividade da AOCM. 

banner25set22.png

Afetos do Barroco

26 de Novembro de 2022 

Afetos do Barroco é o título de um ciclo de concertos organizado pela AOCM, resultado de um protocolo entre esta associação e a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura que pretende, além de valorizar o património arquitetónico barroco da Região Autónoma da Madeira, glorificar os órgãos históricos de várias igrejas, recentemente restaurados e enaltecer as especificidades e pormenores que constituem o repertório musical barroco.

Maria Ferreira (soprano), Luís Calhanas (trompete) e Paulo Silva (órgão) serão os protagonistas deste ciclo, cujo último concerto se concretiza já no próximo sábado, 26 de novembro, pelas 18h00 na Igreja do Colégio (Funchal).

A propósito da temática deste concerto, em que serão interpretadas obras de J.S Bach, H. Purcell , C. Seixas, G.F. Händel, G. Caccini e N. Bruhns o trio explica que: “A época do Barroco (c. 1600-1750) tem uma riqueza ímpar a nível de variedade estilística e de recursos retórico-musicais. É a música da “teoria dos afetos”, que utiliza e transmite um vocabulário mais pleno de emoções e sensações em relação à época anterior do Renascimento, em que dominava a “musica reservata”. Há uma relação íntima entre a palavra e a música, justamente uma procura de comunicação artística fiel, completa e de um discurso claro. Igualmente a música instrumental é extremamente variada, recorrendo-se de artifícios cheios de vivacidade ou, ao contrário, criando ambientes de suavidade e reflexão.

No último concerto deste ciclo, em que estão representadas algumas nacionalidades mais relevantes do período barroco, a voz, o trompete e o órgão fundem-se num ambiente demonstrativo da diversidade desse período da história da música, através da variedade das temáticas apresentadas.

A entrada para o concerto é livre.

Cartaz_Cartas do Campo e da cidade.png

Cartas do Campo e da Cidade

De 11 a 13 de Novembro de 2022 

A AOCM levará a palco, no próximo fim de semana, um novo ciclo de concertos intitulado Cartas do Campo e da Cidade pelo Ensemble Eça de Saias, grupo instrumental que se apresentará pela primeira vez ao público. Este é o terceiro conjunto de concertos organizado pela AOCM, resultado de um protocolo entre esta associação e a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura, que pretende, além de valorizar o património arquitetónico barroco da Madeira, enaltecer as especificidades e pormenores que constituem o repertório musical barroco e dinamizar a cultura musical na Região Autónoma da Madeira.

 

O Ensemble Eça de Saias, composto por Teresa Leão (Bandolim), Sara Faria (Flautas de bisel), Romeu Curto (Guitarra) e Ricardo Mota (Bandola), pretende fazer referência à escritora Luísa Susana Grande Freitas Lomelino, ou Luzia, seu nome artístico. 

Nascida em Portalegre no ano de 1875, passou grande parte da sua história na ilha da Madeira, pelo qual Luiz Peter Clode referiu que ““embora nascida no continente, a Madeira era para ela a sua terra adoptiva”.

Luzia publicou o seu primeiro livro já com 45 anos, editando seguidamente mais oito obras, até ao momento da sua morte, no ano de 1945, no Funchal.

Desenvolveu uma obra de pendor autobiográfico, que fazia crítica à sociedade da época e às clivagens socioeconómicas. E foi sobre o seu estilo irónico que José Martins dos Santos Conde dedicou o livro intitulado “Luzia, o Eça de Queiroz de Saias.” 

É aqui que se torna famosa esta expressão, que apresenta Luzia como uma mulher evoluída para a sua época e pelo qual o Ensemble pretende elogiar e dar a conhecer, dedicando o seu trabalho a Luzia, Eça de Saias.

            O seu livro “As cartas do campo e da cidade” resulta da sua forma analítica de observar o mundo. O desencanto e inquietação, com que Luzia olhava para a vida, levavam-na a viajar, constantemente, de um lado para outro a olhar sempre de modo crítico para tudo.

O Ensemble Eça de Saias pretende, neste ciclo de concertos, fazer um paralelismo entre estas viagens, entre estes dois mundos distópicos através da música e  sociedade barroca. A música barroca, porque retrata uma panóplia de sentimentos e estados de alma, tais como tristeza, melancolia, raiva, furor, amor, inquietação, leveza, paz e ódio, entre outros e a sociedade com as suas diferenças sociais, de pobreza e riqueza, elegância e desmazelo, justiça e injustiça ou ainda urbano e rural. Com as obras de Telemann, Vivaldi e Bach, poderemos criar um ambiente de corte ou de um sarau num pequeno palacete urbano". Por outro lado, com a audição das músicas Pauls Steeple e Faronells Ground, temas populares e sem compositor definido, iremos experienciar um universo pastorício e, paralelamente austero, comum na vida rural.

Através das obras apresentadas por este quarteto, com uma formação instrumental atípica, envolvem o público em pinceladas de imagens contraditórias, fragrâncias diversas e sensações ambíguas. 
           Os concertos terão lugar nos seguintes dias e horas:

  • Sexta, 11 de novembro, 19h, Palácio de São Lourenço (Funchal);

  • Sábado, 12 de novembro, 17h, Capela de São João Baptista (Funchal):

  • Domingo, 13 de novembro, 16h, Solar do Aposento (Ponta Delgada)

 

A entrada para o concerto é livre. Mais informações poderão ser encontradas em: www.associaoocm.com e https://www.facebook.com/AOCMadeira

MusiqAntiqFest a01_edited.jpg

MusAntiqFest '22

De 21 a 23 de Outubro de 2022 

A AOCM apresenta, entre os dias 21 e 23 de outubro, em co-produção com o Teatro Municipal Baltazar Dias, a 3.ª edição do Festival de Música Antiga do Funchal, intitulado MusAntiqFest.

Este festival surge do protocolo entre esta associação e a Câmara Municipal do Funchal, através de candidatura de apoio ao associativismo, em que a CMF, além da cedência do palco do Teatro Municipal Baltazar Dias, investiu 6.000€ para a concretização do mesmo.

Serão realizados três concertos, com agrupamentos diferentes e com conceitos  distintos, nomeadamente:

  1. Sexta, 21 de outubro, 21h00
    Duo: Flauta de Bisel (Sara Freitas Faria) e Cravo (Giancarlo Mongelli)
    Melancolia e Furor na Europa Barroca
    Esta forma típica de composição instrumental do período barroco fará uma viagem por vários países da Europa Ocidental, tais como: Portugal (Carlos Seixas), França (Jacques Duphly), Inglaterra (Henry Purcell), Itália (Dario Castello), Alemanha (Georg Philipp Telemann e Johann Sebastian Bach) e Holanda (Único Wilhem van Wassenaer) e , desta forma, apresentará as caraterísticas musicais melancólicas, virtuosísticas e eufóricas de cada um destes países.
     

  2. Sábado, 22 de outubro, 21h00
    DUO RUBRUM: Soprano (Carolina Andrade) e Vihuela (Romeu Curto)
    Histórias de Amor e Guerra
    Com a performance de obras dos compositores  Alonso de Mudarra, Miguel de Fuenllana, Luis de Narváez, Esteban Daza, Luis Milán, Diego Pisador, este Duo recriará a envolvência sentida nos recitais do séc. XVI, contando histórias de amor e guerra, apresentando, desta forma, uma temática que não tem tempo, nem lugar.
     

  3. Domingo, 23 de outubro, 21h00
    Funchal Baroque Ensemble com Antoni Mendezona (Soprano)
    As heroínas de Haendel
    George Friedrich Haendel foi o maior o compositor de óperas do período barroco. Para este concerto, o Funchal Baroque Ensemble e a soprano Antoni Mendezona interpretarão variadas árias de ópera deste compositor alemão e inglês, em que as personagens femininas serão homenageadas, por todas as suas características.
     

Sendo esta a 3.ª edição do MusAntiqFest, a AOCM tem conseguido, aos poucos e ao longo de cada edição, concretizar aquilo a que se propôs desde que sonhou com esta ideia de realizar este festival, objetivo esse que passa por valorizar e apresentar o excelente trabalho dos músicos madeirenses e residentes na Madeira e pela internacionalização do Festival, através da possibilidade de convidar músicos de Portugal Continental e do estrangeiro. Por conseguinte, as convidadas deste ano são as cantoras. Carolina Andrade, que terá a sua performance no dia 22 de outubro, em conjunto com o guitarrista Romeu Curto, no Duo Rubrum. É natural de Lisboa e reside, atualmente, na Holanda, onde se encontra a fazer uma especialização em música antiga. E Antoni Mendezona, a viver temporariamente na Madeira, de ascendência filipina e espanhola, com vasta experiência na área do canto, que tem recebido as melhores críticas, em jornais internacionais, tais como o New York Times e o Washington Post.

Todos os concertos terão lugar no palco do Teatro Municipal Baltazar Dias, com a particularidade que os concertos dos dias 21 e 22 levarão mesmo o público a assistir aos concertos no próprio palco, criando, deste modo, um ambiente de recital e proximidade, quase familiar, como acontecia em eventos desta estirpe durante os sécs. XVI e XVII, com pequenos grupos de música de câmara.

A AOCM, a CMF e o Teatro Municipal Baltazar Dias convidam o público, entres os dias 21 e 23 de outubro a uma viagem ao passado, onde o som e a imaginação se transformam num ambiente de convívio musical que transportam para pinturas, poesia, aromas verdejantes e beleza.

A entrada para os concertos, para o público em geral tem o custo de 7€. Mais informações poderão ser encontradas em: www.associaoocm.com e https://www.facebook.com/AOCMadeira e na bilheteira do Teatro Municipal Baltazar Dias.

banner25set22.png

Afetos do Barroco

25 de Setembro de 2022 

Afetos do Barroco é o título de um ciclo de concertos organizado pela  AOCM, resultado de um protocolo entre esta associação e a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura que pretende, além de valorizar o património arquitetónico barroco da Região Autónoma da Madeira, glorificar os órgãos históricos de várias igrejas, recentemente restaurados e enaltecer as especificidades e pormenores que constituem o repertório musical barroco.

Maria Ferreira (soprano), Luís Calhanas (trompete) e Paulo Silva (órgão) serão os protagonistas deste ciclo, cujo segundo concerto se concretiza já no próximo sábado, 25 de setembro, pelas 17h00m na Igreja de São Pedro no Funchal.

A propósito da temática deste concerto, em que serão interpretadas obras de J.S Bach, H. Purcell, J. Pachelbel , C. Seixas, G.F. Händel e D. Buxtehude o trio explica que: “A época do Barroco (c. 1600-1750) tem uma riqueza ímpar a nível de variedade estilística e de recursos retórico-musicais. É a música da “teoria dos afetos”, que utiliza e transmite um vocabulário mais pleno de emoções e sensações em relação à época anterior do Renascimento, em que dominava a “musica reservata”. Há uma relação íntima entre a palavra e a música, justamente uma procura de comunicação artística fiel, completa e de um discurso claro. Igualmente a música instrumental é extremamente variada, recorrendo-se de artifícios cheios de vivacidade ou, ao contrário, criando ambientes de suavidade e reflexão”.

Neste concerto, em que estão representadas algumas nacionalidades mais revelantes do período barroco, a voz, o trompete e o órgão fundem-se num ambiente demonstrativo da diversidade desse período da história da música, através da variedade das temáticas apresentadas.

A entrada para o concerto é livre.

Cs copy_edited.png

Música e Natureza

De 09 a 11 de Setembro de 2022 

Na continuidade do protocolo entre a AOCM e a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura, esta associação de utilidade pública apresenta, já no próximo fim de semana, o ciclo intitulado Música e Natureza, cuja performance estará a cargo do seu grupo residente, Funchal Baroque Ensemble.

Serão realizados três concertos, nomeadamente, a 9 de setembro, às 19h00, no Palácio de São Lourenço (Funchal); 10 de setembro, às 18h00, na Igreja de São Bento (Ribeira Brava); e, por fim, a 11 de setembro, na Igreja Matriz de São Vicente, pelas 18h00.

Acerca do tema, Música e Natureza, o Funchal Baroque Ensemble interpreta obras do período barroco, de caráter descritivo e com uma certa componente visual, em que, através de alguns detalhes musicais o ouvinte poderá vislumbrar pinceladas da natureza, como, por exemplo, os elementos água, terra, fogo e ar, com a peça “Les Elements” de J. F. Rebel, montanhas, flores e árvores com a audição do “Concerto Pastorale” de J. Ch. Pez e, por fim, imagens da sociedade das vilas rurais da sociedade francesa com a performance de “Ballet de Village op. 52 n. 1” de J. B. Boismortier.

O Funchal Baroque Ensemble, que se apresenta, desta vez, com duas flautas de bisel (Carla Abreu, Sara Faria), dois violinos (Olga Samara e Andrei Ladeischikov), fagote (Yurii Omelchuk), contrabaixo (João Ferreira) e cravo (Giancarlo Mongelli, que assume igualmente o papel de diretor musical), foi  criado, em 2013, com a designação inicial de “O Sonho de Orpheu”, surgindo em regime de parceria com a Associação Orquestra Clássica da Madeira (AOCM). O Funchal Baroque Ensemble dedica-se exclusivamente à divulgação da música barroca no território regional, na ótica de fomentar uma oferta musical que possa contribuir para uma política cultural de diversificação. Dentro das características principais deste ensemble, destacam-se o propósito de dar a conhecer ao grande público obras ainda pouco conhecidas, mas de grande valor artístico-musical, através de uma abordagem interpretativa historicamente informada do repertório apresentado nos seus concertos. A sua formação instrumental, sendo muito variável, confere-lhe um carácter de grande versatilidade, adequando-se a qualquer tipo de repertório desde as sonatas camerísticas “a solo” até às orquestrais Ouverture-Suites e Sinfonias.

A parceria entre a AOCM e a SRTC/DRC tem como objetivo, além de valorizar o património arquitetónico barroco da Região Autónoma da Madeira, glorificar os órgãos históricos de várias igrejas e enaltecer as especificidades e pormenores que constituem o repertório musical barroco.

A AOCM e o Funchal Baroque Ensemble convidam, desta forma, o público para uma viagem de sensações visuais, olfativas e naturalmente, auditivas.

A entrada para os concertos é livre, no entanto para o concerto do dia 9 (Palácio de São Lourenço), devido à lotação limitada do espaço, é necessário efetuar reserva. Mais informações/reservas poderão ser encontradas em: www.associaoocm.com e https://www.facebook.com/AOCMadeira

musantiqfest_xs.png

MusAntiqFest'21

De 27 de Outubro a 01 de Novembro de 2021

A AOCM irá realizar, em coprodução com a Câmara Municipal do Funchal, o 2º Festival de Música Antiga do Funchal, entre os dias 27 de outubro e 1 de novembro.

MusAntiqFest21 compreenderá um conjunto de 4 concertos, apresentando obras musicais que abrangem vários séculos de música, desde o séc. XV até ao séc. XVIII.

A Direção artística do Festival está a cargo do cravista Giancarlo Mongelli.

Os bilhetes para os concertos do dia 27 e 29 de outubro, no Teatro Baltazar Dias, terão um custo de 7 euros. Para este concerto alunos do CEPAM terão entrada gratuita mediante disponibilidade de lugares.

As entradas para os outros dois concertos são gratuitos, no entanto, e por uma questão do controlo da lotação das salas, os interessados terão de efetuar uma reserva através do site da AOCM: http://www.associacaoocm.com/agenda

aprovação 2.png

Funchal 2027

1. "Acis e Galatea": Mito e natureza em música e versos;
2. Eco Atlântico

A AOCM – Associação Orquestra Clássica da Madeira – está de parabéns.

O seu projecto «"Acis e Galatea": Mito e natureza em música e versos», apresentando à candidatura «Funchal 2027», foi seleccionado. Trata-se de um projecto ambicioso que passa por encenações em jardins, parques e quintas da Madeira, centrado no «Acis e Galatea» do compositor alemão G. F. Händel (1685-1759), conjugado com recitação de versos da fábula «Galatea e Polifemo» de Francisco de Vasconcelos Coutinho (Funchal, 1665-1723), num envolvimento de teatro, música e poesia, aproximando o que há de comum entre estes dois autores e suas obras, a natureza.

Mas outro projecto, comum entre a Associação Cultural, Desportiva e Recreativa – Retoiça e a AOCM, mereceu também a aprovação para a programação de «Funchal 2027». Também projecto ambicioso, «Eco Atlântico», irá permitir um profícuo trabalho de grupo centrado em gravações áudio de paisagens sonoras e humanas, captadas na RAM, com novidades na forma de interagir com os públicos.  

Serão projectos que irão absorver os nossos músicos permitindo a realização de trabalhos em parcerias, com várias áreas artísticas, valorizando a arte como meio de cumplicidade sócio-cultural.

Ver mais em: https://funchal2027.cm-funchal.pt/chamada-a-apresentacao-de-projetos/