Projetos

fbe01_edited.jpg
Funchal Baroque Ensemble

O “Funchal Baroque Ensemble” (FBE) foi criado em maio de 2013, com a designação de ensemble “O Sonho de Orpheu” e surgiu em regime de parceria com a Associação Orquestra Clássica da Madeira (AOCM).

Inicialmente era composto por flautas de bisel (Sara Freitas Faria), bandolim e bandola (Norberto Gonçalves da Cruz), violoncelo (Mikolaj Lewkowicz) e cravo (Giancarlo Mongelli).

Entre 2014 e 2016, após a saída do bandolinista Norberto Cruz, foi aumentando a sua constituição instrumental com Alexandra Vieira e Sandra Sá nos violinos e Yury Omelchuk no fagote. Em 2018, após um interregno de dois anos, voltou ao panorama musical madeirense. Desde então, a sua instrumentação e número de elementos varia de acordo com as necessidades do repertório proposto, apresentando-se, deste modo, ao público em variadas formações instrumentais. No seu número máximo de elementos o FBE, atualmente, é composto por 9 músicos, nomeadamente: Carla Abreu, Sara Faria (flautas de bisel), Joana Costa e Sandra Sá (violino), Marta Morera (viola de arco), László Szepesi (violoncelo), Gabor Bolba (contrabaixo), Yury Omelchuk (fagote) e Giancarlo Mongelli (cravo e direção musical).

O projeto surgiu com o intuito de criar ciclos de concertos comentados, e/ou descritivos (de caráter ilustrativo ao público em geral), com incidência na música antiga, em especial do período barroco, que compreende os séculos XVII e XVIII.

Tem sido ideia de o ensemble realizar uma interpretação musical historicamente informada das obras propostas, dinamizar vários tipos de repertório instrumental e vocal, recorrendo, por vezes, a outros músicos, ou artistas, com a intenção de enriquecer a temática de cada recital, de forma a valorizar e abranger o repertório musical da época pretendida. O grupo visualiza, igualmente, dinamizar e valorizar o património cultural e histórico, em várias vertentes artísticas. Ou seja, a partir de uma determinada época, monumento, pintura ou outra fonte artística criar um repertório musical que enalteça essa mesma característica.

A parceria com a Associação da Orquestra Clássica da Madeira surge no sentido de: Representar condignamente a referida Associação, através de eventos efetuados por músicos especializados no repertório acima descrito.

Desde a sua fundação o grupo realizou quinze ciclos de concertos e participou em diferentes projetos. Os concertos tiveram lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal do Funchal, na Assembleia Legislativa da Madeira, Museu de Eletricidade – Casa da Luz, Igreja Presbiteriana da Madeira e Capela de S. Sebastião na Ponta do Sol, sendo todos estes espaços caracterizados pela uma acústica adequada aos instrumentos intervenientes.

Dentro das suas atividades destacam-se, na sequência de convites feitos pela SRTC/DRC, os dois concertos a integrar o programa do festival e música barroca “Música a Norte”, nos anos 2019 e 2020 e um concerto na Quinta Vigia, integrando a Festa da Flor 2020.

Destaca-se também, em 2020, a participação ao 1º festival de música barroca do Funchal com a reposição da comédia musical “O Burguês Gentil-Homem de Molière com músicas originais de Lully, consolidando uma feliz parceira com o teatro barroco.

db01.png
Dezembro Barroco

O primeiro concerto do ciclo “Dezembro Barroco” aconteceu no dia 5 de Dezembro de 2020 e teve lugar no Museu Quinta das Cruzes com a violinista Adela Hysková e o cravista Giancarlo Mongelli. O duo repetiu o seu concerto “A arte do violino barroco” apresentado no dia 28 de outubro no âmbito do “MusAntiqFest 2020”. Os dois concertos tiveram lotação esgotada.

No dia 12 de dezembro pelas 19.30, no âmbito do ciclo “Dezembro Barroco”, e com lotação novamente esgotada, a AOCM apresentou um concerto na Igreja da Santa Luzia com obras de A. Vivaldi, J.S. Bach, G. Ph. Telemann, G.F. Händel e J. Stanley, com interpretação da soprano Maria João Pereira, da flautista de bisel Carla Abreu, do organista Paulo Silva e do violoncelista László Szepesi.

Dentro do mesmo ciclo, no dia 19 de dezembro, a Igreja do Colégio deu lugar para um recital de órgão. Em programa estiveram obras de J.S. Bach, J. Sannley, G. Böhm, P. Bruna, D. Buxtehude e L. Daquin. A AOCM congratula-se, novamente, pela grande afluência de público, com todos os lugares disponíveis ocupados.

Os últimos dois concertos do ciclo “Dezembro Barroco” tiveram lugar nos dias 23 e 29 de dezembro, respetivamente, na Igreja de Ribeira Brava e no Palácio de São Lourenço (Funchal). O programa apresentado nestes dois concertos foi o mesmo, tendo como repertório apresentado obras de A. Vivaldi, D. Gaudioso, Pez e G.F. Händel. Estes dois concertos estiveram ao cargo do “Funchal Baroque Ensemble”, com a direção musical do cravista Giancarlo Mongelli e apresentou também os solistas Carla Abreu e Sara Freitas Faria nas flautas de bisel, a soprano Maria João Pereira e o bandolinista Norberto Cruz. Ambos os concertos tiveram lotação esgotada.

maf01.png
MusAntiqFest

Entre os dias 27 de outubro e 1 de novembro a AOCM realizou o 1.º Festival de Música Antiga do Funchal (MusAntiqFest 2020). O evento realizou-se graças ao protocolo de apoio ao associativismo da CMF que, além de financiamento, disponibilizou espaços geridos pela mesma, como o Salão Nobre e a sala de espetáculos do Teatro Municipal, o Museu A Cidade do Açúcar e Museu Henrique e Francisco Franco. A direção artística do festival foi do cravista italiano Giancarlo Mongelli. Todos os concertos foram realizados com fortes medidas de segurança cumprindo todas as regras e restrições impostas pela COVID-19. Saliente-se que todos os concertos, com pré-marcação e entrada gratuita à exceção do último concerto, tiveram casa-cheia, ficando totalmente esgotados.

O concerto de abertura do festival esteve a cargo do ensemble de música antiga “De Palacio”, com a direção artística da flautista Carla Abreu, além dos 5 instrumentistas (2 flautas de bisel, vihuela, harpa e percussão). O público presente teve o prazer, ainda, de ouvir as vozes da soprano Cláudia Sousa e do tenor Fábio Ferro. O Salão Nobre do Teatro Municipal ficou com a lotação esgotada. Após as breves palavras de abertura da vereadora do pelouro da cultura da CMF, Dr.ª Madalena Nunes, o público presente desfrutou obras de compositores como J. Dowland, J. de Prez, T. Susato, entre outros.

O segundo concerto do “MusAntqFest 2020”, também com lotação esgotada, aconteceu no dia 28 de outubro no Museu A Cidade do Açúcar, com o título “A arte do violino barroco” e com as interpretações da violinista Adela Hysková e do cravista Giancarlo Mongelli. Em programa estiveram obras de grandes compositores como G.F. Händel, A. Corelli, J.S. Bach- A. Vivaldi e C. Ph. E. Bach.

O terceiro concerto do festival foi realizado no dia 29 de outubro no Museu Henrique e Francisco Franco com o quarteto do “Funchal Baroque Ensemble” e os solistas Maria João Pereira (soprano) e o bandolinista Norberto Cruz. Em programa estiveram obras de A. Vivaldi, D. Gaudioso, D. Gallo e G. F. Händel. O concerto teve lotação esgotada e para o público que não pode assistir o evento foi transmitido em direto na página de Facebook da CMF.

O último espetáculo do “1.º Festival de Música Antiga do Funchal” aconteceu no dia 1 de novembro no palco principal do Teatro Municipal. A comédia musical “O Burguês Gentil Homem”, obra prima de Molière com a música de J.- B. Lully, encerrou este festival com humor e boa disposição. O espetáculo, reposição do dia 31 de janeiro, teve uma boa afluência e excelente receção do público, servindo de encerramento e dignificando “1.º MusAntiqFest do Funchal”.

Cartaz Celebração em Estilo Barroco_concertos outubro_SMALL_1.png
Celebração em Estilo Barroco

Celebração em Estilo Barroco é um ciclo de concertos que resulta de um protocolo entre a AOCM e a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura que pretende, além de valorizar o património arquitetónico barroco da Região Autónoma da Madeira, glorificar os órgãos históricos de várias igrejas, recentemente restaurados, e enaltecer as especificidades e pormenores que constituem o repertório musical barroco, e tem como objetivo celebrar o regresso aos palcos e à vida cultural ativa na Região Autónoma da Madeira.